Institucional

Um caminho ao cume da montanha

“Treme em luz a água”
Fernando Pessoa
A partir de uma encomenda para uma capela, próximo à cidade de cunha. Na montanha toda, faz – se o sítio para o projeto. Sobre a topografia natural da montanha, um caminho surge. Dois muros de pedra dialogam entre si e tomam -se como referência para o acesso ao projeto, que se completa ao cume do monte.
Ao longo do percurso a natureza exuberante se faz presente. A meio caminho, a cruz, símbolo maior repousa sobre o espelho d’ água e se comunica com as demais formas e o lugar. Mais adiante, próximo ao topo, um volume elíptico brota da terra. A capela é tomada pelo percurso, integrando – se as suas formas e curvas. Um edifício semi – aberto, onde dentro e fora se misturam, passa – se do exterior ao interior em descontinuidade. O edifício é volume único e todo fechado, um momento de introspecção e olhar interior, reflexão.
A natureza que sempre nos sustentou, encontra aqui, no projeto uma possibilidade de criar uma atmosfera mística. A luz do sol inunda o interior do ambiente, se funde em contato com a água e a pedra – a água elemento purificador. A parede de pedra e concreto que envolvi a si mesma e ao ambiente, dando contorno.
A laje pouco toca a parede ao longo da edificação, por onde entra a luz. Como se projetada pela abertura e sua luz superior, caminha o espelho d’ água.
A capela, um volume sem aberturas, exceto um.
Um abrigo à imagem de Nossa Senhora Aparecida.
Construtivamente, a parede de pedra e concreto auto – portante, que envolve o edifício, sustenta a laje, auxiliados pelas vigas de concreto.
O percurso se completa junto a um mirante, de onde tem a vista da paisagem, a cruz. Um espaço distinto da capela, porém que a completa. A cruz, a capela e o mirante posicionam – se de forma a criar um novo ambiente para o complexo todo, uma nova escala se forma, agora aberta, a praça e a natureza no projeto como um todo, um novo ambiente para cultos à céu aberto.
Um banco esta localizado de forma intencional, direcionado a cruz.
A capela como um conjunto de elementos orgânicos e racionais, abertos, semi – abertos, cobertos, dispostos ao longo da montanha que se dão a natureza do entorno e ao percurso e sua intenção de chegar ao cume do monte.
Uma manta de cacos de pedra, cobri toda a topografia do percurso proposto.

Unlimited Campus Escola em Chirstchurch, Nova Zelandia

Num terreno quase devastado
a construção de uma escola
a escolha do lugar próxima ao parque
a via um calçadão
opta se por dialogar com o plano diretor
de Chrstchucrh…Nova Zelândia
os parques de bolso e novas rotas meandram a quadra
pensa – se na implantação da escola de forma a dar um primeiro
passo a essa possibilidade
num segundo passo a inclusão é total…
edifícios residenciais e um comercial tomam a quadra
todos de mesmo gabarito 15 metros 5 pavimentos…
…e uma praça integra ao parque
quanto a escola um grande vazio organiza o espaço e orienta a escola
toda aberta a ele…
a rampa um circuito de dentro para fora de fora para dentro caminha – se como em continuidade
no vidro pensado a cidade a total integração da cidade e escola
a biblioteca no mezanino e cocção
um piso de sala de aula dois de atelieres no terraço arvores
aulas ao ar livre.